domingo, 4 de dezembro de 2016

Marafona irritou e Rui Pedro fuzilou



Vitória mais do que justa do FC Porto sobre os "Guerreiros do Minho". E bem que se pode dizer guerreiros. De facto ontem no que toca a defender o empate desde o primeiro minuto e ainda quando tinha 11 jogadores em campo. José Peseiro mostrou ao que vinha desde início. Para ele não era importante vencer e aproximar-se do Benfica. Não! Nem pensar! As amizades dos bastidores não permitem que o Braga fique á frente do Benfica. Adiante....


Marafona a queimar tempo

Já aos 20 minutos de jogo o guarda-redes do Sp.Braga começou o seu festival. Muito tempo na reposição da bola em jogo o que lhe valeu o amarelo aos 50 minutos. Depois acho bastante cómico o capitão do Braga vir a público dizer que 7 minutos era muito exagerado. Ora bem... Caro André Pinto aconselho-o a viver com muita atenção a segunda parte e depois irá perceber o porquê de 7 minutos. Se mesmo assim não entender fale com o seu guarda-redes. Ele é capaz de lhe explicar melhor 

A arbitragem

Carlos Xistra por norma tem sempre uma grande vontade de roubar á descarada o FC Porto. Isso aconteceu na Pedreira em março deste ano onde não viu 2 penaltys claros sobre o Suk e perdoou a expulsão ao Baiano. 
Mas em relação ao que fez ontem acho que no lance do penalty ele exagerou um pouco. Mas também viu uma falta inexistente do Diogo Jota sobre o Baiano e que deu golo antes dos 70 minutos. Portanto Xistra não teve influência nenhuma no resultado final. 


A atitude dos dragões

A primeira parte mostrou uma equipa com pouca vontade e pouca garra. Mas no segundo tempo e já depois de ter falhado o penalty vimos um Porto novo. Um Porto que jogou apenas no meio-campo arsenalista. Iker Casillas não fez uma defesa durante todo o jogo. Felipe e Marcano foram imperiais na recuperação de bola e Maxi e Laýun fizeram tudo o que estava ao seu alcance. Depois veio Brahimi que colocou em sentido a defesa minhota. Mesmo assim não era suficiente para derrubar o muro. Então lançou-se em campo Herrera e o miúdo Rui Pedro. A diferença notou-se logo. Rui Pedro desequilibrou a defesa minhota aos 90+4 e á saída de Marafona aplicou-lhe um magnifico chapéu. Estava desmontado o autocarro arsenalista! 

PS: O Braga tem de decidir se quer lutar com os grandes ou se prefere continuar a pensar pequeno. Assim não passarão de uma 4/5 melhor equipa e nunca serão considerados grandes do futebol nacional!