segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Responsáveis? FPF, Liga e Clubes


Responsáveis? FPF, Liga e Clubes! Como? Com o patrocínio da fantochada eleição ocorrida no verão!


Vai mal o reino da arbitragem, mas, mediante as díspares opiniões que, sobre a efetiva valia do quadro atual de árbitros, nomeadamente eficácia, competência e apetência, vai ouvindo, lendo e vendo, poderá o público interessado no futebol considerar-se esclarecido? Se der acolhimento ao proferido por alguns responsáveis diretivos e técnicos, é capaz de interiorizar estarmos num estágio de notória melhoria face a tempos mais ou menos remotos, porém, as opiniões negativas proferidas por gente, onde me incluo, com passado no sector, serão bem capaz de serem entendidas como desagravo ou mero despeito, de inveja por não ocupação de cargos no sector. Essencial, mesmo, é avaliar, analisar, ponderar e perceber factos, razões, enquadrar realidades. Contestações a decisões da arbitragem sempre existiram e existirão. Argumentar estarem os árbitros, hoje, mais expostos pelo incremento das transmissões televisivas e das inúmeras horas dedicadas ao espiolhar dos equívocos é falacioso.

A valia média é baixa! Os internacionais de aviário ou cueiros agarrados ao rabo, pouco ajudam

Lembrar-se-ão os mais antigos de quantas e quantas invasões de campo sucederam no passado por insatisfação com decisões dos árbitros? A escalpelização dos lances nas diversas TVs não contribuirá para redução drástica dos comportamentos "selváticos" então verificados? É tempo de aceitar que a decomposição das imagens constitui ferramenta importante na compreensão e melhoria das prestações daqueles que têm interesse em serem cada vez melhores árbitros, porém, efetuando análise aos diversos itens associados à prestação em cada jogo, sopesando erros que escapam ao grande público e outros mais relevantes como penáltis, perdoem os mais céticos a opinião deste fraco escriba: a valia média é baixa! Os internacionais de aviário ou cueiros agarrados ao rabo, pouco ajudam! Responsáveis? FPF, Liga e Clubes! Como? Com o patrocínio da fantochada eleição ocorrida no verão!

Artigo de Jorge Coroado no jornal O JOGO publicado dia 6 de janeiro