domingo, 23 de setembro de 2018

Três pontos amargos



Dois golos,um em cada parte fizeram a vitória do FC Porto na visita ao Sado. Uma exibição muito cinzenta dos campeões nacionais que passaram por muitos calafrios antes de chegarem ao segundo golo. 

Depois da receção ao Tondela (cuidado com o Tondela),segue-se a visita á Luz. E muito sinceramente a jogar assim se sairmos de lá com o empate já é muitíssimo bom. Posto isto vamos lá aos nossos destaques...




Éder Militão (+) - O internacional brasileiro foi de facto o homem do jogo na nossa opinião. Durante os 90 minutos de jogo,Éder somou 12 ações defensivas e ainda ganhou 5 dos 6 duelos aéreos que disputou. Um jogo impecável do reforço vindo do São Paulo.

Felipe (+) - O parceiro de Militão também esteve em destaque no Sado. Registou 8 alívios em 13 ações defensivas e ainda ganhou 2 duelos aéreos. 




Brahimi (-) Jogo infeliz do argelino. Brahimi não conseguiu dar á equipa a critativdade necessária para desbloquear o quinteto montado por Lito Vidigal. Os dribles eficazes foram poucos e não houve a tal "magia" que já nos habitou a ver. 

Passividade (-) Já criticamos aqui algumas vezes a apatia que o FC Porto mostra após marcar 1/2 golos. A equipa sujeita-se seriamente a sofrer diversos dissabores que só não são materializados por culpa de Iker Casillas e da defesa. Muitas faltas de concentração em momentos chave da partida que podem alterar facilmente uma vantagem larga. 

A vitória no Sado acaba por ser justa face aquilo que se passou. No entanto o Vit.Setúbal durante alguns minutos dominou a partida e teve chances para empatar o jogo. Num lance de bola parada,o FC Porto acaba por conseguir a vitória que é muito cinzenta e muito frouxa. 

Venha o Tondela!

domingo, 16 de setembro de 2018

O investimento na equipa B



Em 2011/2012 foi aprovado em Assembleia Geral da Liga de Clubes a integração de equipas B para dar oportunidades a jovens saídos diretamente das formações de vários clubes. FC Porto,Benfica,Sporting,Sp.Braga,Vitória de Guimarães e Marítimo aderiram á ideia e criaram uma formação secundária pronta a competir no segundo escalão.

Realço aqui a excelente medida que foi aprovada na Liga. Por exemplo,o Benfica viu-se "obrigado" a despachar Mário Rui e Danilo Pereira por falta de espaço na equipa principal. Ambos acabaram a formação em 2010 e nessa altura ainda não havia equipas "B",pelo que saíram do clube e agora são titulares-chave nos respetivos clubes.

Mas o tema deste post é o investimento que foi feito ao longo dos últimos anos na equipa B do FC Porto. Muitos são os jogadores que vêem diretamente dos júniores ou então que chegam de outros clubes mas com valores completamente absurdos face á realidade que o clube agora atravessa. Deixo agora algumas contratações que foram feitas:

Mauro Caballero - 1,5M€
Joris Kayembe - 2,63M€
Igor Lichnovsky - 1,84M€
Raul Gudiño - 1,50M€
Inácio - 3M€
Omar Govea - 2M€
Musa Yahaya - 800 mil euros
Luizão - 3M€
Galeno - 1,5M€

Somando apenas os valores das transferências dos jogadores acima referidos estamos a falar de quase 18 milhões de euros investidos. Luizão e Inácio destacam-se por serem os mais caros desta lista,sendo que um deles já somou um empréstimo completamente falhado e esta de volta á equipa B.

Olhando para a equipa que se sagrou campeã em 2016 concluímos que 21 jogadores (ou seja 51%) fizeram formação no clube. Estamos portanto a falar de uma equipa que metade dos jogadores são formados localmente e outra metade que é proveniente de outros clubes e outros mercados.

E se olharmos para jogadores que saíram do clube recentemente e por valores "ridículos" como o caso de Diogo Dalot e compararmos com os valores que são investidos atualmente,dá vontade de chorar. 

Para esta época já chegaram Rui Costa,Kelechi e Diego Landis. Veremos mais tarde qual foi o custo de todas estas aquisições,se vierem detalhadas no R&C da SAD. De salientar também que para o plantel deste ano,foram integrados Bueno,Rui Pedro,Gleison e Rúben Macedo. Tudo jogadores que já fizeram épocas de empréstimo sem valorização praticamente nenhuma.

Para finalizar,deixo agora um artigo escrito pelo blog "O Tribunal do Dragão" que fala também um pouco destas contratações para a equipa secundária do FC Porto. Podem lê-lo aqui.

sábado, 15 de setembro de 2018

O mesmo de sempre



Pelo quarto ano consecutivo,o FC Porto entra com o pé esquerdo na Taça da Liga. Em 15/16 foi uma derrota com o Marítimo em pleno dragão,depois foi um empate com o Belenenses e a época transacta um empate diante do Leixões. Este ano o filme voltou a repetir-se.

Sérgio Conceição promoveu algumas alterações no onze inicial. Vaná estreou-se a titular num jogo do Dragão,Diogo Leite voltou a formar dupla com Felipe,João Pedro rendeu Maxi Pereira,Danilo também regressou ao onze e Aboubakar ficou no banco cedendo a titularidade a Adrián López. E foi exatamente aqui que muito falhou ontem. O espanhol contratado ao Atlético de Madrid não serve para jogar no FC Porto. Sempre que cá esteve desperdiçou inúmeras oportunidades dadas quer por Lopetegui quer por Nuno Espírito Santo. Os empréstimos ao Villarreal e ao Corunha não foram de proveito elevado e a solução para esta época foi a integração do espanhol no plantel. 

A primeira parte foi bastante fraca e diria que até provocou alguma sonolência a bastantes adeptos presentes no estádio. O jogo tornou-se verdadeiramente mais competitivo e interessante após a entrada de Brahimi,jogador cuja equipa depende muito da sua criatividade e lances individuais. Sem Brahimi este Porto apresenta muito pouco futebol e o jogo interior é praticamente nulo. Existe uma certa dependência daquilo que o argelino pode oferecer á equipa. 




Danilo Pereira (+) Regressado ao onze titular,o internacional português funcionou como um autêntico pulmão. Impecável a defender e sempre disponível para atacar a área adversária e os lances de bola parada. Genial.

Yacine Brahimi (+) - Mal o argelino entrou,agitou logo a defensiva transmontana. Foi dele a assistência para Hernâni e teve ainda mais um par de jogadas e rasgos individuais que causaram perigo. 

Vaná (+) Jogou o seu segundo jogo oficial pelo FC Porto. Teve muito pouco trabalho mas aos 90 minutos negou o golo a William com uma enorme defesa mantendo o resultado vivo. 




Adrián López (-) O espanhol tarda-se em afirmar de azul e branco ao peito. Ontem teve uma noite para esquecer onde somou poucas ações com a bola e não causou perigo nenhum para a baliza de António Filipe. 

Postura demasiado permissiva (-)  Mais uma vez, o FC Porto apanha-se a ganhar e deixa-se tranquilizar pelo resultado. Foi assim em Belém e foi assim com o Guimarães onde se averbou a primeira derrota da época. Ontem resultou num empate que futuramente poderá comprometer a passagem á final-four da Taça da Liga. 

É certo que ainda faltam dois jogos e que o FC Porto vencendo esses dois jogos,certamente que garantirá o acesso á final-four em Braga. Mas para isso a postura da equipa nestes jogos de Taça da Liga terá que mudar muito. Alguns jogadores são lançados para também eles terem uma oportunidade mas na maior parte das vezes desperdiçam-nas. Algo para rever no jogo com o Varzim em outubro.

Agora,venha o Schalke! 

quinta-feira, 13 de setembro de 2018

Objetivo oitavos



O FC Porto conheceu no passado dia 30 de agosto, os seus adversários na fase de grupos da prova milionária. Deslocações á Rússia, Turquia e também á Alemanha foi o que calhou em sorte aos dragões.

Começando pelo Lokomotiv de Moscovo, campeão russo, tem no seu elenco dois jogadores portugueses: Éder e Manuel Fernandes. A época começou de forma atribulada para os russos pois já perderam a Supertaça para o rival CSKA e começaram a defesa do título, averbando já dois empates e duas derrotas. Participa na Champions League pela 6ª vez.

Falamos agora do vice-campeão alemão, o Schalke 04. O FC Porto já defrontou a equipa alemã nos oitavos de final da Champions de 2007/2008. Acabou eliminado no desempate por pontapés da marca de penalty com Manuel Neuer a travar quase todos os remates dos dianteiros portistas. Recentemente foi derrotado em casa pelo Hertha de Berlim e também perdeu jogadores fulcrais como Thilo Keher, Howedes, Goretzka e Max Meyer.

Terminamos a análise ao grupo dos campeões nacionais com os turcos do Galatasaray que regressam a uma competição em que já não marcavam presença desde 2015/2016. Atualmente tem Maicon e Fernando que são dois ex-dragões e que muito sucesso tiveram quando passaram pela Invicta. É um adversário teoricamente acessível ao FC Porto mas muito cuidado com o ambiente na Turquia.

Em jeito de conclusão, é um grupo que o FC Porto tem mais do que obrigação de passar. Nenhum destes adversário é um tubarão europeu e alguns deles nem sequer marcaram presença nos últimos anos. Só se aceita a passagem aos oitavos!

sábado, 25 de agosto de 2018

Falta de humildade

Foi assim que o mister Sérgio Conceição adjetivou a exibição portista. De facto não andou longe disso mesmo. Falta de humildade meus caros. É incompreensível uma equipa estar a jogar no seu reduto a vencer por dois golos ao intervalo e em 25 minutos deixar-se dar amolecer e ver o adversário dar a volta. E o Vitória,venceu pela primeira neste estádio....



"Circulação de bola lenta" foi o que foi dito por Sérgio Conceição. Mesmo na primeira parte a nossa circulação de bola não foi de todo a melhor. Muitos passes falhados,muita ansiedade para chegar ao golo e o pior de tudo,a tal ansiedade para que o jogo acabasse mesmo com uma parte inteira para se jogar. É isto que não pode,não deve acontecer. Uma vantagem de dois golos tem de ser bem gerida e acima de tudo ampliada. Nunca se dá um jogo como ganho antes do árbitro o dar por finalizado. Nunca! 

Mesmo a própria exibição na primeira parte não foi de todo satisfatória. Dois golos marcados não chegam para alimentar uma massa adepta rigorosa e muito exigente com os seus atletas. Posto a isto vamos aos destaques..




André Pereira (+) - O jovem português foi um dos que mais remou contra a maré. Esteve na assistência para Brahimi e foi dele o cabeceamento certeiro para o segundo golo. Ganhou ainda vários duelos contra os jogadores vitorianos e conseguiu ainda "sacar" cinco faltas. 

Felipe (+) - O central brasileiro foi talvez um dos de foi tentando adiar o inevitável. Felipe conseguiu ganhar os 2 duelos aéreos que disputou, aliviou a bola 5 vezes e ainda esteve impecável ao nível das intercepções. O melhorzinho da linha defensiva.




Maxi Pereira (-) - Noite para esquecer do internacional uruguaio. Para além de ter falhado escandalosamente o empate aos 93,somou a isso um e um só cruzamento eficaz, falhou 14 passes (8 deles curtos) e ainda perdeu a posse de bola 27 ocasiões. Noite infernal. 

Atitude complacente (-) - A atitude da equipa mesmo após o segundo golo foi de dar por adquirida a vitória neste jogo. Puro engano. No Estádio da Luz,este mesmo Vitória a perder 3-0 foi em busca do empate esteve perto de o conseguir. Atitude foi o que teve a equipa de Luís Castro,ao contrário dos pupilos de Conceição que amoleceram e demasiado perante uma vantagem de dois golos. Algo a rever...

O campeonato ainda só vai na terceira jornada é certo. Mas o passado recente provou-nos que todos e quaisquer pontos são preciosos para a luta pelo título. Aliás nos últimos 3 anos,tivemos dois campeões nacionais que bateram o recorde de pontos,estabelecendo o mesmo em 88 pontos. Algo que para se alcançar é preciso muito trabalho e competência. 

No início da época,ouvimos o treinador dizer que queria ultrapassar o recorde igualado na época anterior. Para já perdemos 3 pontos. Faltam 31 batalhas para a conquista do bicampeonato. Nada está perdido é certo,mas há muita coisa a rever e a melhorar,tal como disse o mister.